“Obrigado, Seu José!”, por Maria Vitória Zeni

Marcos abre a mão enquanto o senhor simpático detrás do balcão deposita algumas moedas em sua palma. Com o café na outra mão, ele se dirige à mesa de sempre — a do canto mais isolado — da padaria de sempre, no horário de sempre. Após limpar as lentes redondas dos óculos com a manga da camisa amassada, ele tira da bolsa estilo carteiro (com a qual Luisa, sua namorada, implica, mas poxa, é tão prática) o jornal do dia e passa os olhos pelas manchetes, ainda sonolento demais para de fato absorver alguma…

Read More

Rótulos, por Maria Vitória Zeni

Helena rói o cantinho das unhas quando está ansiosa. Ela tem uma pinta em formato de coração um pouco abaixo da nuca e chora toda vez que assiste a Sociedade dos Poetas Mortos. Sonha em conhecer a Europa e queria ser pintora, mas descobriu que não era sua real vocação e acabou virando bibliotecária, por causa da sua paixão pelos livros. Helena não gosta muito de sair à noite e bebidas alcoólicas, e por esse motivo, as pessoas costumam chamá-la de certinha. Sylvia adora ouvir as histórias dos amigos e…

Read More